Irmandade Alcoólicos Anônimos completa 88 anos; Feira de Santana possui 3 núcleos

Dia 10 de junho, é considerado como o Dia Mundial dos Alcoólicos Anônimos. A data marca o aniversário de uma irmandade que nasceu há 87 anos nos Estados Unidos e se espalhou pelo mundo ajudando as pessoas dependentes de álcool. De acordo com a Agência Brasil, o grupo chegou no país em 1947, hoje a comunidade tem aproximadamente 4.570 grupos em todas as regiões do Brasil. A rede de apoio criada pelos grupos, apoia a sobriedade dos participantes. Em Feira de Santana, existem três núcleos dos Alcoólicos Anônimos localizados nos seguintes bairros:
  • Rua Carlos Alberto, nº 898, Cidade Nova
  • Rua Santos Dumont, nº 182, Centro
  • Rua Torquato, nº 54, Tomba
Antônio (nome fictício), é um dos participantes do núcleo localizado na Rua Santos Dumont. Ao Acorda Cidade, ele contou que a sede era localizada na Avenida Senador Quintino e após o crescimento do grupo, foi necessário criar novos locais. “O Alcoólicos Anônimos daqui de Feira de Santana foi criado em 1980 lá na Senador Quintino dentro da Afas. Depois da criação, o grupo foi se espalhando, até que outros grupos foram formados e hoje nós temos estas três sedes, aqui no centro da cidade, no bairro Tomba e na Cidade Nova. Neste dia 10 de junho, nós estamos completando 88 anos de existência e o objetivo é manter a sobriedade e ajudar os outros alcoólicos”, afirmou. Questionado sobre como funciona, Antônio explicou que as pessoas devem procurar por espontânea vontade. “Aquele que se interessa, é dado o endereço, ele chega nas nossas reuniões e vai se identificar com as nossas histórias. Na medida que ele for ficando e a sua mente for melhorando, nós temos princípios funcionais tanto individual quanto o coletivo. O individual é a preparação para fortificar a vontade que é chamado de 12 passos, e o funcionamento geral em todo o Mundo são as 12 tradições, evidentemente em cada país na sua língua”, afirmou. Ainda de acordo com Antônio, o local é mantido pelas doações dos próprios participantes. “Esta é uma entidade sem fins lucrativos, não aceitamos em hipótese alguma, dinheiro. Por exemplo, o prefeito de uma cidade nos convida para participar de alguma ação, ele pode até nos oferecer o transporte, alimentação, mas ajuda em dinheiro não aceitamos. Em todas as nossas reuniões aqui, durante o intervalo, uma sacola vai passando e cada um doa o quanto pode doar e se puder doar. Nós temos uma despesa mensal aqui de R$ 1 mil e no final do mês, o tesoureiro faz a arrecadação e ninguém sabe quanto cada um deu, porque tudo é de forma anônima”. Segundo o coordenador do Alcoólicos Anônimos, a família pode ajudar neste papel. “A família pode ajudar indicando estes grupos e eu nem digo que o alcoólico precisa ter uma força de vontade, mas que tenha uma consciência porque as vezes é difícil para quem ainda está na ativa do álcool, e por isso, a importância de amigos e familiares para encaminharem estas pessoas, desde que elas não venham de forma espontânea”, concluiu.
Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

Compartilhar

Previsão do Tempo
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-