Aos 14 anos, carateca faixa preta vai disputar Panamericano na Colômbia

Aos 14 anos, carateca faixa preta vai disputar Panamericano na Colômbia

Aos 14 anos, carateca faixa preta vai disputar Panamericano na Colômbia

Aos 14 anos, carateca faixa preta vai disputar Panamericano na Colômbia

  Uma menina de pouca idade, mas de uma trajetória que serve de inspiração para muitas pessoas: esta é a carateca Laura Ribeiro de 14 anos. Faixa preta, desde os 12, ela tem um currículo mais pesado do que muita gente grande e está prestes a realizar a maior façanha da sua vida até aqui: participar do Campeonato Americano de Karatê, promovido pela Associação JKA, que acontece no próximo mês de agosto em Bogotá, na Colômbia. A jornada desta talentosa atleta de artes marciais começou há 10 anos atrás. Josy Ribeiro, mãe de Laura, lembra que ainda chegou a matricular a filha no Ballet, porém em pouco tempo, a garota mostrou oque realmente queria. "Laura fazia até os passos de Ballet certinhos, mas ela depois de que viu uma aula de Karatê no colégio ficou fascinada e chegou em casa dizendo 'mamãe eu quero Karatê' e aí começou a jornada dela no esporte e segue firme até hoje", recorda. Para a mãe, o fato da menina ter preferido o Karatê acabou sendo a realização de um grande sonho. "Eu queria ser carateca, mas não tive coragem de começar, enquanto Laura não quis nem saber e se jogou. Fiquei feliz porque a minha menina realizou o meu sonho, me vejo nela, torço, vibro e faço de tudo para que ela viva cada momento do esporte que tanto ama", declara Josy. O resultado de tanto amor e dedicação se refletem nas conquistas e no cartel invejável que Laura tem pouco tempo. "São 16 títulos baianos, 1 brasileiro e por duas vezes fui considerada a melhor carateca do ano na minha categoria e agora obtive índice técnico para disputar o Campeonato Panamericano em Bogotá na Colômbia", relata Laura. Outra grande conquista da jovem carateca é a tão sonhada faixa preta, situação que aconteceu há dois anos, logo com o enfraquecimento da pandemia do covid-19. "A pandemia me desmotivou um pouco porque a faixa preta poderia ter vindo antes. Mas logo que os eventos começaram fiz o exame já no final de 2021 e fui aprovada. Agora é seguir lutando por mais conquistas", garante Laura. Um dos responsáveis diretos pelo sucesso de Laura é o seu Sensei, Nailton Melo, com quem a menina treina desde os cinco anos de idade. "Ele é meu Norte, meu porto seguro e se conquistei muitas coisas, com certeza meu mestre tem muita parcela nisso. A ele, toda a minha gratidão", afirmou a menina. NOVO DESAFIO Laura começa a se preparar de forma mais intensa para o Campeonato Panamericano de Karatê, que vai acontecer no próximo mês de agosto em Bogotá, na Colômbia, a primeira competição internacional na sua trajetória. "A ficha ainda não caiu, parece que estou sonhando, mas os treinos me aguardem porque a responsabilidade que tenho é grande, pois competirá contra as melhores atletas da América, o que aumenta a responsabilidade. Os treinos específicos começam esta semana em Salvador", informou a carateca. Enquanto a filha se concentra nos treinamentos, a mamãe Josy corre atrás para garantir a participação de Laura na competição. "O total de despesas chega a R$ 7 mil incluindo transporte, hospedagem, alimentação e agora estamos correndo atrás: já lançamos uma 'vaquinha virtual' e temos também um PIX onde as pessoas podem nos ajudar porque não temos patrocinadores e todas as despesas, na maior parte das competições são cobertas por recursos próprios. Nós estamos pedindo esta força para as pessoas para que Laura possa disputar a competição e ser bem sucedida porque ela tem grande capacidade", atesta Josy. Quem quiser ajudar pode contribuir com qualquer valor através do PIX - lauratavares1310@gmail.com ou pode entrar em contato através do telefone – 75-99148 4659.

Compartilhar

Os comentários do Facebook permitem aprovação imediata e garantem um ambiente on-line mais seguro, já que é preciso se identificar para deixar um comentário.
Previsão do Tempo
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-

Aos 14 anos, carateca faixa preta vai disputar Panamericano na Colômbia